Cross Country

Campeonato Brasileiro de Rally

Com o ASX Racing, Equipe Mitsubishi Petrobras completa o Rally Dakar 2016

João Franciosi e Gustavo Gugelmin superaram todas as dificuldades dos mais de 9.000 km para comemorar na rampa de chegada em Rosario, na Argentina
Depois de 9.583 km entre a Argentina e Bolívia, terminou hoje em Rosario (ARG) o Rally Dakar, a maior e mais difícil prova off-road do mundo. A bordo do ASX Racing da Equipe Mitsubishi Petrobras, a dupla João Franciosi e Gustavo Gugelmin cruzou a linha de chegada e comemorou por ter conseguido concluir um desafio tão grande. "É um sonho que se realizada a cada dia. Tudo o que fizemos se resume a essa chegada", vibra Franciosi. "Foi o meu primeiro e já conseguimos completar. É uma satisfação muito grande. Estou muito feliz por ter chegado, um sonho que se tornou realidade", disse ele com a voz embargada pela emoção. A dupla superou as mais diversas dificuldades em 14 dias de competição. Foram condições inóspitas percorrendo desertos, estradas, montanhas e serras. Na Bolívia, enfrentaram a neve e até chuva de pedra. Pelo interior da Argentina, muita poeira, montanhas e temperaturas que beiraram os 50ºC, tornando a prova ainda mais desgastante e chegando ao limite do corpo e dos equipamentos. Só de cruzar a linha de chegada já é o maior troféu para a carreira de qualquer piloto. João Franciosi fez sua estreia na competição e já conseguiu concluir a prova e o navegador Gustavo Gugelmin, apesar de ter participado da edição de 2014, não teve o gostinho de terminar o Rally Dakar. "Mesmo com os problemas que foram aparecendo, a gente se motivada cada vez mais. Desistir jamais. Sempre que chegávamos a noite ao acampamento a equipe estava feliz, animada por termos concluído mais um dia. Foi dessa maneira que conseguimos chegar até o final. As dificuldades foram nos dando ainda mais motivação. Fazer as dunas a noite foi uma loucura, atolamos várias vezes e achamos que não íamos conseguir. Mas o espírito do rali é isso. Ninguém vem para um Dakar para não encontrar dificuldades. E hoje, ao cruzar a linha de chegada, foi muito bom, todos se abraçando, comemorando", vibra o piloto. "Em 2014 realizei o sonho de ir ao Dakar e hoje estou completando a prova. Foi duríssimo. Estou muito feliz e, ao mesmo tempo, cansado, desgastado. Nos últimos dias chegamos ao limite do corpo", comenta Gustavo. "Mas, com certeza, além do sonho de todos que correm o rali, que é fazer o Dakar, estou realizando e chegando ao final dele. Terminar essa prova é algo pra levar pra vida toda. Superação, força, dedicação e profissionalismo", completa o navegador. Carreiras
João Franciosi tem 51 anos e é natural de Casca (RS), mas reside há mais de três décadas em Luis Eduardo Magalhães (BA), onde atua no setor de agronegócio. Graças a seu talento, João Franciosi fez uma rápida ascensão no rali. Sua carreira começou no Auto Cross, onde correu por 11 anos e foi 10 vezes campeão baiano. Mas mais de 10 anos se dedica ao cross-country. Apenas em sua segunda participação no Rally dos Sertões, foi campeão geral da prova com uma Mitsubishi L200 inscrita na categoria Production (carro de produção, com poucas modificações). É o único piloto na história a conseguir esse feito. Em 2015, completou 11 participações na maior prova off-road do Brasil e tem em seu currículo um feito único: das 104 etapas disputadas, só não completou uma, em 2009. O navegador Gustavo Gugelmin ingressou no kart aos 8 anos influenciado por seu pai, Sergio Gugelmin, também piloto e campeão em várias modalidades. Passando por ralis de regularidade e velocidade, conquistou diversos títulos, em dupla com seu pai, associando habilidade, rapidez e precisão, juntamente com amplo conhecimento em mecânica, tanto para pilotar quanto para navegar. Entre suas principais conquistas estão o Rally dos Sertões na geral e categoria T2, Mitsubishi Cup e, em 2012, o Campeonato Mundial na categoria T2 como navegador. "Foi a empreitada mais difícil que tive na minha vida. O sonho de fazer um Dakar e chegar ao final aconteceu. Sempre vou estar pronto para desafios", revela Franciosi. A Equipe Mitsubishi Petrobras tem o patrocínio de Mitsubishi Motors, Petrobras, FMC, Axalta, Protune e Projeto Sign. MIT Imprensa
Foto: Magnus Torquato / Mitsubishi