Cross Country

Campeonato Brasileiro de Rally

Peugeot vence o Dakar 2016

Vinte e seis anos depois da sua última vitória, a PEUGEOT vence o Rally Dakar pela quinta vez na sua história
O PEUGEOT 2008 DKR, com tração em duas rodas, triunfou com sua equipe mais premiada, composta por Stéphane Peterhansel/Jean-Paul Cottret. UM HISTÓRICO DE OURO Para a PEUGEOT, esta vitória veio completar um histórico esportivo que já conta com quatro vitórias no Dakar, conquistadas na África entre 1987 e 1990 e inúmeros triunfos em competições tão variadas como as 24 Horas de Le Mans, Pikes Peak ou ainda o WRC. Este sucesso ficará como um dos grandes momentos da história da PEUGEOT, que arrancou a vitória já na sua segunda participação na América do Sul. Três PEUGEOT 2008 DKR cruzaram a linha de chegada. Tal resultado jamais teria sido possível sem os memoráveis momentos de ajuda mútua, não apenas entre as equipes mas também entre os mecânicos, esses heróis que trabalham nos bastidores. Autor de uma belíssima corrida nesta sua segunda participação em quatro rodas, Cyril Despres (que contribuiu para uma das 7 dobradinhas) atuou espontaneamente como anjo da guarda de seus colegas de equipe, ajudando-os em diversas ocasiões. Imagens fortes que alimentam a lenda desta prova... “Mr. DAKAR” ATACA NOVAMENTE Contando com sua vasta experiência, a dupla Peterhansel / Cottret do PEUGEOT 2008 DKR n°302 subiu como vencedora ao pódio final de Rosario. Foi a sexta vitória conjunta para esta equipe e a 12ª de Stéphane Peterhansel, por seis vezes vencedor de moto. Vinte e cinco anos depois do seu primeiro triunfo, ele bateu o próprio recorde, confirmando seu título inabalável “Mr. Dakar”. MISSÃO COMANDO! Com 9500 km a percorrer em duas semanas entre a Argentina e a Bolívia, exposto a diversidade climática e a altitudes de até 4800 m, o Team Peugeot Total venceu um desafio inclemente graças à sua ‘tropa de choque’, uma das equipes mais impressionantes que já participaram dessa prova. Com 17 vitórias no Dakar, as três equipes de 2015 - Stéphane Peterhansel/Jean-Paul Cottret, Carlos Sainz/Lucas Cruz e Cyril Despres/David Castera – ganharam o reforço dos nove vezes campeões do mundo de ralis, Sébastien Loeb/Daniel Elena, que fizeram sua grande estreia nesta prova legendária. UM DESAFIO TÉCNICO Todos se destacaram durante o rali ao volante do PEUGEOT 2008 DKR. Os engenheiros da equipe trabalharam sem descanso, tentando tirar proveito dos ensinamentos do ano passado, que foi o primeiro Dakar disputado pela PEUGEOT no continente sul-americano. O novo PEUGEOT 2008 DKR, mais baixo, mais largo, mais longo e mais potente, demonstrou rapidamente a extensão das suas possibilidades. Mantendo-se fiel à tração em duas rodas diante dos tradicionais veículos 4x4 de tração integral, ele demonstrou estar à vontade em qualquer tipo de terreno, confirmando as opções técnicas feitas na origem do projeto. DUAS SEMANAS DE DESAFIOS As equipes do Team Peugeot Total alçaram-se à liderança da prova desde a primeira etapa disputada. Explorando ao máximo os seus talentos de piloto de ralis num terreno que lhe é familiar, Sébastien Loeb foi o primeiro a vencer uma especial, mas Stéphane Peterhansel e Carlos Sainz não demoraram a imitá-lo. Com seis dobradinhas, sendo duas triplas, nas seis etapas disputadas na primeira semana, os PEUGEOT 2008 DKR ocuparam regularmente os três primeiros lugares da classificação geral, proporcionando a toda a equipe descargas intensas de adrenalina. O trio composto por Loeb-Peterhansel-Sainz estava na liderança em Salta, durante o dia de descanso após uma exaustiva incursão pelos altiplanos bolivianos. A segunda semana de competição trouxe uma dose extra de aventuras, com um percurso mais variado, mais trechos off-road e através das dunas. Nesse terreno propício a todo o tipo de reviravoltas, Sébastien Loeb (capotamento) e Carlos Sainz (abandono por avaria mecânica na etapa 10) acabaram perdendo suas chances de disputar a vitória. Cyril Despres sofreu atraso a partir da quinta etapa (problema no turbo), levando Stéphane Peterhansel a ocupar a posição de líder do Team Peugeot Total rumo à vitória. Após vencer uma atribulada especial nas famosas dunas de Fiambala, a dupla assumiu a frente na décima etapa com uma hora de avanço, bastando-lhe apenas administrar essa vantagem até a chegada. Até 2017 ! COMENTÁRIOS Bruno Famin, diretor da Peugeot Sport “O balanço ultrapassa nossas expectativas, pois participamos para demonstrar o desempenho do carro, e conseguimos fazê-lo muito bem ao longo do rali em todos os tipos de condições. Isso significa que vencemos a aposta técnica que fizemos. Tivemos alguns probleminhas técnicos e isso nos faz pensar que o PEUGEOT 2008 DKR ainda tem uma margem de melhoria a ser explorada. Estamos muitos felizes com o resultado e esperamos confirmá-lo no próximo ano, por que não, com uma terceira vitória!”. Stéphane Peterhansel (piloto do PEUGEOT 2008 DKR vencedor)* “É uma satisfação enorme. Antes da partida tal resultado estava longe de ser garantido. Eu tinha a impressão que a equipe ainda era um pouco jovem, mas, finalmente, tudo correu muito bem. Tivemos a boa surpresa de ter um carro com bom desempenho em especiais do tipo WRC. Tentei ficar em contato nesse momento, sabendo que o Carlos e o Séb seriam mais rápidos”. Fizemos uma bela prova ao longo de um dia em que atacamos muito e obtivemos a liderança com uma vantagem confortável: 50 minutos a três dias da chegada. Em seguida foi preciso administrar com inteligência. Quando eu competia de moto nos meus primeiros ralis Dakar, eu sonhava em pilotar para a Peugeot. Por isso, o fato de estar na equipe e levá-la à vitória é uma satisfação imensa.” Jean-Paul Cottret (copiloto do PEUGEOT 2008 DKR vencedor)* “Estamos muito felizes por levar este PEUGEOT 2008 DKR ao pódio! É uma recompensa para toda essa equipe que tanto trabalhou durante dois anos. Depois de um ano de aprendizado conseguimos vencer. É um belo sucesso. Agradeço muito a toda equipe.” Cyril Despres (piloto do PEUGEOT 2008 DKR – 7º) “Faço um balanço positivo desta segunda participação ao volante de um carro. É sempre um prazer cruzar a linha de chegada do Dakar. Fizemos algumas belíssimas etapas. Com o David, estamos começando a nos entrosar, identificamos alguns erros a evitar e constatamos que éramos capazes de acompanhar o ritmo dos primeiros em algumas especiais. O fato de ter três PEUGEOT 2008 DKR no Top 10 é uma satisfação para toda a equipe”. Sébastien Loeb (piloto do PEUGEOT 2008 DKR – 9º). “Fico satisfeito por ter chegado a final! Houve pontos positivos e negativos, mas, no conjunto, tivemos um bom nível de desempenho. Cometemos alguns erros nas etapas em que estávamos menos à vontade por falta de experiência. Senão, em termos de desempenho puro nós estivemos à altura. Divertimo-nos muito, exceto em alguns dias especialmente difíceis”. Carlos Sainz (piloto do PEUGEOT 2008 DKR n°303) “Quero parabenizar toda a equipe e especialmente o Stéphane e o Jean Paul. Todos trabalharam arduamente para desenvolver o PEUGEOT 2008 DKR e sinto muito orgulho por ter contribuído para esse trabalho de equipe. Conseguir um tal resultado após apenas dois anos é algo absolutamente notável. É um desafio emocionante”. Classificação final provisória* 1. Stéphane Peterhansel (FRA)/Jean-Paul Cottret (FRA), PEUGEOT 2008 DKR, 45h22min10s
2. Nasser Al-Attiyah (QAT)/Matthieu Baumel (FRA), Mini, +34min58s
3. Giniel De Villiers (ZAF)/Dirk Von Zitzewitz (DEU), Toyota, +1h02min47s
4. Mikko Hirvonen (FIN)/Michel Perin (FRA), Mini, +1h05min18s
5. Leeroy Poulter (ZAF)/Robert Howie (ZAF), Toyota, +1 h30min43s
7. Cyril Despres (FRA)/David Castera (FRA), PEUGEOT 2008 DKR, + 1h49min04s
9. Sébastien Loeb (FRA)/Daniel Elena (MC), PEUGEOT 2008 DKR, +2h22min09s Assessoria de Imprensa Peugeot
Giselli Cardoso