Cross Country

Campeonato Brasileiro de Rally

Rally dos Sertões 2016 será um dos mais exigentes da história

Atuais campeões esperam Rally dos Sertões bastante disputado
Goiânia (GO) – Para vencer os 3.212 quilômetros do 24º Rally dos Sertões será preciso muito mais que um bom equipamento. A opinião é de Marcos Moraes, diretor-geral da Dunas Race, organizadora da prova. Ele considera o roteiro deste ano um dos mais exigentes da história. Neste sábado (dia 3), os pilotos encaram o prólogo (disputa em circuito fechado que definirá a ordem de partida), que terá início às 10h, no Cidade Alpha Goiás, empreendimento localizado em Senador Canedo. Às 18h, no Autódromo Internacional, ocorre a largada promocional. A competição termina dia 10, em Palmas (TO). Serão 2.357 quilômetros de trechos cronometrados, o que equivale a 74% do total. Galeria de fotos do Rally dos Sertões “Será um percurso muito interessante, com nível técnico extremamente elevado e com um roteiro muito seletivo. Não bastará ter o melhor carro, moto, UTV ou quadriciclo para vencer. O trabalho em equipe será fundamental”, afirmou Marcos Moraes durante a coletiva de imprensa, que reuniu os campeões da última edição, patrocinadores e autoridades, entre elas o vice-governador de Goiás, José Eliton de Figuerêdo Junior. O vice-governador destacou as questões sociais e ambientais que envolvem o Rally dos Sertões. “É muito mais que um evento automobilístico. Ele propaga valores e conceitos importantes, que vão muito além da competição. É um orgulho para os goianos receber a competição por mais um ano”, declarou. Esta é a 14ª vez que o Sertões começa em Goiânia. E entre os atuais campeões, a passagem pelo Jalapão foi o principal assunto no encontro com os jornalistas. Na região serão realizadas as três últimas etapas do rali. “Será um roteiro muito exigente e no qual teremos de dar o nosso máximo”, afirmou Jean Azevedo, o maior vencedor nas Motos, com seis conquistas. “Estou ansioso. Espero pelo Sertões o ano inteiro. Estou com um carro bem diferente do que utilizei no ano passado, mas tenho certeza que conseguirei defender bem o título”, disse Reinaldo Varela, atual campeão nos Carros, ao lado do navegador Gustavo Gugelmin. “Temos duas certezas no Rally dos Sertões: terá poeira e calor”, afirmou Bruno Sperancini, vencedor da categoria UTV em 2015. Lourival Roldan, que foi seu navegador, também destacou o nível técnico. “Será um rali bem duro, que vai exigir muito das máquinas e pilotos”, afirmou. Alexandre Cury representou a Honda; Gustavo Lopes, o Outback, e Fernando Julianelli, a Mitsubishi. As três empresas são patrocinadoras do Rally dos Sertões. Carreata
Neste ano, o Rally dos Sertões será disputado por 146 veículos, sendo 53 carros, 47 motos, 14 quadriciclos e 32 UTVs. Nesta sexta-feira (dia 2), parte deles saíram às ruas de Goiânia. Para apresentar as máquinas à população da capital. Confira a programação e a descrição de cada uma das sete etapas do Rally dos Sertões 2016
SÁBADO (03/09)
8h às 9h30 – Posicionamento dos veículos no Parque Fechado (Autódromo)
10h às 14h – Prólogo na Cidade Alpha Goiás (Senador Canedo)
10h30 – Largada da 1ª Moto (Na sequência largarão Quadris, UTVs e Carros)
14h – Encerramento do Prólogo
15h às 16h – Posicionamento Motos/Quadris e UTVs no Parque Fechado
16h às 17h – Posicionamento Carros no Parque Fechado
18h30 – Largada Promocional (Autódromo Internacional de Goiânia) Total da prova: 3.212,17 km
Total de trechos cronometrados: 2.357,17 km
74% de trechos cronometrados (recorde em 24 anos de história) 04/09 – Etapa 1
Goiânia (GO) – Padre Bernardo (GO)
Deslocamento inicial: 248,43 km
Trecho especial: 111,79 km
Deslocamento final: 4,32 km
Total do dia: 364,54 quilômetros
Descrição da etapa:
A especial começa com muitas subidas e descidas. Em uma região montanhosa, com muitas trilhas estreitas e sinuosas, com abismos dos dois lados e muitos tops sem visão. O que exige total concentração dos pilotos e navegadores. O piso predominante é o cascalho e a piçarra. Será uma especial de média velocidade, com poucas retas e a poeira será muito intensa. 05/09 – Etapa 2
Padre Bernardo (GO) – Cavalcante (GO)
Deslocamento inicial: 34,27 km
Trecho especial: 374,84 km
Deslocamento final: 9,19 km
Total do dia: 418,3 quilômetros
Descrição da etapa:
A especial terá início próximo a Mimoso de Goiás e será uma das mais técnicas e duras de todos os tempos. A largada será em zona agrícola, com longas retas. A competição segue por estradas de fazendas bem estreitas, sinuosas e com muitas lombas e lombadas. A prova continua por uma região montanhosa, com muitas pedras, lajes e zonas de trial com grandes erosões. A prova fica mais rápida e com todos os tipos de terreno (cascalho, piçarra, pedras grandes e lajes), alternando trechos de média e baixa velocidade. No último quarto da especial a prova fica bem veloz, seguindo assim até a última descida de serra, próximo a Cavalcante. 06/09 – Etapa 3
Cavalcante (GO) – Posse (GO)
Deslocamento inicial: 22,95 km
Trecho especial: 376,41 km
Deslocamento final: 244,12 km
Total do dia: 643,48 km
Descrição da etapa:
Será mais uma especial muito técnica e complicada. No início haverá estradas sinuosas, com muitas erosões e depressões. A prova prossegue por uma região montanhosa, com muitas subidas e descidas fortes e com trechos de trial. A prova se mantém sinuosa por estradas menores e com velocidade média. Mais à frente, prossegue por estradas de alta velocidade. O roteiro alterna trechos de média e alta velocidade, com muita navegação até o último trecho, onde a velocidade aumenta novamente e segue assim até o final. O piso predominante é o de cascalho. Porém, com muitas pedras, estradas de piçarra e pequenos trechos de areia. 07/09 – Etapa 4
Posse (GO) – Luís Eduardo Magalhães (BA)
Deslocamento inicial: 14,62 km
Trecho especial: 361,94 km
Deslocamento final: 183,59 km
Total do dia: 560,15 km
Descrição da etapa:
O Rally dos Sertões deixa o estado de Goiás e entra na Bahia. A especial deste dia começa bem próximo a Posse. Completamente diferente das anteriores, trata-se de uma prova bem rápida, com longas retas em áreas agrícolas de altíssima velocidade e muita navegação. A expectativa é que se registre as maiores velocidades da prova. O piso predominante é a piçarra. Porém, há longos trechos sinuosos e com areia. Segue assim até o seu último quarto, quando voltam as longas retas, com muitas lombas e depressões. Seguindo assim até o final do trecho cronometrado, no Km 40 da BR-020. 08/09 – Etapa 5
Luís Eduardo Magalhães (BA) – Mateiros (TO)
Deslocamento inicial: 35,47 km
Trecho especial: 425,67 km
Deslocamento final: 00 km
Total do dia: 461,14 km
Descrição da etapa:
Em Luís Eduardo Magalhães tem início a etapa maratona, na qual somente pilotos e navegadores podem fazer a manutenção de seus veículos. A especial terá início na Cachoeira do Acaba Vidas, na BA-458, com estradas bem sinuosas, muitas lombas e depressões. A prova prossegue por um longo trecho sinuoso e estreito, com estradas de piçarra e trechos com areia, o que exige muita navegação. Com três quartos da prova o ritmo aumenta novamente. Serão longas retas de alta velocidade. Seguindo assim até o trecho final, com muita areia na trilha. 09/09 – Etapa 6
Mateiros (TO) – Ponte Alta (TO)
Deslocamento inicial: 00 km
Trecho especial: 514,98 km
Deslocamento final: 5,97 km
Total do dia: 520,95 km
Descrição da etapa:
Esta será uma das etapas mais técnicas e difíceis de toda a história do Rally dos Sertões. A largada será no portão do parque de apoio. A especial começa travada, em estradas sinuosas e com piso arenoso. Segue por trechos de savanas, onde a navegação será primordial. A prova continua por estradas de piçarra e trechos arenosos, já no deserto do Jalapão. Depois do areião, há um trecho de trial e, no último quarto de prova, estradas menores de fazendas até o final. 10/09 – Etapa 7
Ponte Alta (TO) – Palmas (TO)
Deslocamento inicial: 4,61 km
Trecho especial: 191,54 km
Deslocamento final: 47,46 km
Total do dia: 243,61 km
Descrição da etapa:
Esta etapa fecha o Rally dos Sertões 2016 com chave de ouro. A especial terá início bem próximo a Ponte Alta e segue por estradas de piçarra, com trechos sinuosos de altíssimas velocidades. Na sequência, aparecem estradas menores, com erosões, riachos, depressões e pedras. No último trecho, a prova fica rápida novamente e segue assim até a última descida da serra. O final da especial será em Taquaruçu, na TO-030. Dali, carros, motos, quadris e UTVs seguem em deslocamento até a praia da Graciosa, em Palmas. O Rally dos Sertões tem patrocínio da Honda, Mitsubishi e Outback. Apoio de Pirelli e Cidade Alpha Goiás (empreendimento da Alphaville Urbanismo) e Guaraná Antarctica. Apoio institucional do Governo do Tocantins e Governo de Goiás, através do Detran-GO, com o Programa Balada Responsável. Vipcomm Assessoria de Imprensa
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro / Nilton Valentim
Foto: Vinicius Branca/Vipcomm