Cross Country

Campeonato Brasileiro de Rally

Rally dos Sertões: "Não vamos largar o osso", afirmam os irmãos Varela

Gabriel Varela foi rebocado pelo irmão Rodrigo por 430 km. Bruno Varela teve dois pneus furados
No Rally dos Sertões tudo pode mudar de um dia para o outro. Depois de liderar a categoria UTV após as duas primeiras etapas e 783 km percorridos, bastaram 190 km nesta terça-feira (06/9) para que Gabriel Varela (Can-Am/Blindarte) sofresse um revés que ao final da tarde jogou-o para a sexta posição na classe Pro. A principal prova do off-road brasileiro cumpriu 643,48 km entre Cavalcante e Posse, em Goiás. "Hoje não foi um bom dia para nós, mas também podemos considerar como uma vitória pelo que fizemos. E serviu para ganharmos ainda mais confiança em nosso Can-Am Maverick, que é um verdadeiro touro, aguentando carregar o dobro de seu peso por 430 km, numa velocidade incrível", destacou Rodrigo Varela (Can-Am/Blindarte), que rebocou o seu irmão que teve problema. "Não vamos largar o osso. Vamos consertar e diminuir a diferença que é pequena pelo que temos pela frente até sábado", emendou Gabriel, que agora está a 30 minutos dos líderes Deninho Casarini/Luis Eckel (Can-Am Maverick XDS Turbo), e apenas 15 minutos dos vice-líderes Pedro Queirolo/Gui Trombini (Can-Am Maverick Turbo). O caçula da ‘Família da Poeira’ se recuperou bem nesta terceira etapa, apesar das adversidades que também enfrentou. Bruno Varela (Polaris One/Motul) largou da 29ª posição entre os UTVs, para terminar a Especial de 376,41 km na quarta posição na classe Super Production. "Foi uma Especial dura e completa. Eu estava indo bem pra caramba, muito rápido, mas tive dois pneus furados que me atrasaram muito. Pelo menos o meu Polaris RZR terminou inteiro e só vamos revisar pra prosseguir amanhã", comentou. O calvário de Gabriel Varela começou quando parou para abastecimento no Km 190, momento em que liderava a prova. Ele colocou gasolina num posto local, que presumivelmente era de péssima qualidade, pois poucos quilômetros adiante o motor começou a falhar até apagar e não ligar mais. "Vínhamos num ritmo excelente, mas o combustível de péssima qualidade avariou todo o sistema de alimentação. Tentamos arrumar e não foi possível. Como o irmão mais velho do piloto estava logo atrás, ele nos rebocou. Foram 186 km de sofrimento na Especial", contou o navegar Gabriel Morales. "Em nome da Divino Fogão Rally Team sacrificamos o nosso desempenho e rebocamos o Gabriel, que está melhor na prova, em condições de ser campeão. Puxamos ele pelos 190 km restantes da Especial e depois mais os 244 km de deslocamento até a divisa com a Bahia. Fiquei impressionado como o Maverick é valente", completou o navegador João Arena. Na quarta-feira (06/9) será realizada a quarta etapa, entre Posse (GO) e Luís Eduardo Magalhães, na Bahia, totalizando 560,15 km, sendo 361,94 de Especial cronometrada. Os mais rápidos no terceiro dia na categoria Pro nos UTV foram: 1) Cristiano Batista/Robledo Nicoletti, PolarisRXP 1000, 5h16min14s; 2) Deninho Casarini/Luis Eckel, Can-Am Maverick XDS Turbo, 5h20min30s; 3) Pedro Queirolo/Gui Trombini, Can-Am Maverick Turbo, 5h24min05s; 4) Enrico Almeida/Alvaro Almeida, Can-Am Maverick 1000, 5h27min25s; 5) Vinícius Mota/Rafael Shimuk, Can-Am Maverick, 5h34min07s; 10) Rodrigo Varela/Mayckon Padilha, Can-Am Maverick XDS, 6h04min38s; 11) Gabriel Varela/Gabriel Morales, Can-Am Maverick XDS, 6h06min43s. Classificação depois de três dias na categoria Pro nos UTV: 1) Deninho Casarini/Luis Eckel, Can-Am Maverick XDS Turbo, 13h16min59s; 2) Pedro Queirolo/Gui Trombini, Can-Am Maverick Turbo, a 15min16s; 3) Elson Cascão II/Elson Oliveira, Polaris RZR 1000, a 20min09s; 4) Carlos Ambrósio/Cadu Sachs, Polaris, a 23min24s; 5) Enrico Almeida/Alvaro Almeida, Can-Am Maverick 1000, a 25min15s; 6) Gabriel Varela/Gabriel Morales, Can-Am Maverick XDS, a 30min17s; 11) Rodrigo Varela/Mayckon Padilha, Can-Am Maverick XDS, a 1h37min59s. Os mais rápidos no terceiro dia na categoria Super Production nos UTV foram: 1) Bruno Sperancini/Breno Rezende, Can-Am Maverick, 5h26min01s; 2) Daniel Costa/Flávio Bisi, Polaris RZR XP, 5h39min49s; 3) Erley Ayala/Idali Bosse, Polaris RZR XP 1000, 05h40min24s; 4) Bruno Varela/João Arena, Polaris RZR, 5h41min46s; 5) Dalger Junqueira/Marcelo Sousa, Polaris RZR 1000, 5h54min08s. Classificação depois de três dias na categoria Super Production nos UTV: 1) Bruno Sperancini/Breno Rezende, Can-Am Maverick, 13h04min07s; 2) Erley Ayala/Idali Bosse, Polaris RZR XP 1000, a 2h07min57s; 3) Rodrigo Faiad/Roberto da Silva, Polaris RZR 900, a 3h06min54s; 4) Osman Didi/Alexandre Branco, Can-Am Maverick, a 3h35min42s; 5) Dalger Junqueira/Marcelo Sousa, Polaris RZR 1000, a 3h36min01s; 7) Bruno Varela/João Arena, Polaris RZR, a 17h13min26s. Curta www.facebook.com/DivinoFogaoRallyTeam MasterMidia Marketing
João Alberto Otazú
Foto: Sanderson Pereira/Divulgação